Alaska Airlines lança sua própria escola de pilotos de avião

Alaska Airlines lança sua própria escola de pilotos de avião

A Alaska Airlines e sua parceira regional, a Horizon Air, anunciaram que vão se unir à Hillsboro Aero Academy, uma das principais escolas de voo do noroeste americano, para lançar a sua própria escola de formação de pilotos de avião: a Ascend Pilot Academy.

Este novo programa de desenvolvimento fornecerá um caminho mais simples e financeiramente acessível para quem quer se tornar um piloto de avião comercial nos EUA. O projeto é parte de um esforço maior para enfrentar a crescente escassez de pilotos de avião no país.

Em parceria com a Hillsboro, as duas companhias aéreas vão treinar até 250 alunos por ano. Uma vez inscritos, os cadetes estarão elegíveis a linhas de financiamentos a juros baixos. Além disso, terão uma bolsa de US$ 25 mil para cobrir o custo de uma licença de piloto comercial nos EUA.

+ Saiba Mais: GREEN CARD PARA PILOTOS: EUA OFERECEM INÚMERAS OPORTUNIDADES

O programa também prevê mentoria com os pilotos que já atuam nas duas companhias, além de uma oferta de emprego condicional na Horizon Air após a formação, com a possibilidade de migrarem para a Alaska Airlines depois de cumprirem certos critérios.

“O lançamento da Ascend Pilot Academy aborda uma necessidade crítica de construir um pipeline de talentos maior e mais diversificado e remover barreiras históricas para a entrada de aspirantes a pilotos”, disse Joe Sprague, presidente da Horizon Air. “Nosso objetivo é criar um programa que permita que os alunos completem um programa intensivo de treinamento e construção de tempo, com um caminho claro e estabelecido para voar para a Horizon como primeiro oficial.”

No começo do ano, a United Airlines anunciou que abriria sua própria escola de pilotos de avião comercial, como forma de enfrentar a escassez de mão de obra. O lançamento da escola de pilotos de avião da Alaska Airlines segue o mesmo objetivo.

Escassez de pilotos de avião nos EUA

A escassez de pilotos de avião comercial se agravou durante a pandemia. Nos últimos dois anos, milhares de pilotos das principais companhias aéreas dos EUA aposentaram-se antecipadamente, acelerando a falta de mão de obra que já se previa na indústria da aviação.

De acordo com estimativas da Alaska Airlines, apenas em 2022, as principais companhias aéreas americanas deverão contratar mais de 10 mil pilotos – o dobro das contratações de 2019. Com 80% dessas contratações previstas para acontecerem em companhias aéreas regionais, como a Horizon Air, é fundamental criar um fluxo robusto para o fornecimento de talentos, de maneira a manter a eficiência operacional e o crescimento dos negócios.

Combinadas, a Alaska e a Horizon estimam que precisarão contratar 500 pilotos por ano, ou 2 mil até 2025.

Caminho para se tornar um piloto de avião nos EUA

As barreiras de entrada para aspirantes a pilotos podem parecer quase impossíveis de superar, particularmente para os jovens. Isso porque muitos não conseguem desembolsar um valor que varia de US$ 70 mil a US$ 90 mil referentes a treinamentos e licenças necessárias para se tornar um piloto comercial nos EUA. Além disso, também é difícil para esses estudantes garantir financiamento federal, o que significa que as condições de pagamento dos cursos são frequentemente proibitivas em razão dos altos juros.

Em resposta a esses desafios, a Alaska Airlines e a Horizon Air têm defendido a expansão do auxílio federal para empréstimos estudantis para cobrir custos associados à formação de pilotos de aviões comerciais.

“Deveria ser tão fácil conseguir um empréstimo estudantil com juros baixos e apoiado pelo governo federal para se tornar um piloto quanto é para fazer Medicina”, defendeu Sprague em um comunicado à imprensa.

Quanto ganha um piloto de avião na Alaska Airlines?

A Alaska Airlines e a Horizon Air oferecem aos pilotos um pacote de compensação e de benefícios altamente competitivo, além de um ambiente de trabalho com oportunidades de crescimento.

Os funcionários recebem privilégios de viagem na rede de voos da Alaska Airlines, que inclui 120 destinos nos Estados Unidos, Canadá, México, Costa Rica e Belize, bem como a capacidade de voar no espaço disponível em qualquer uma das 13 companhias aéreas pertencentes à aliança oneworld.

De acordo com o site Aviation Interviews, que orienta pilotos de avião a como se preparar para entrevistas de emprego, o salário na Alaska Airlines varia de US$ 78 mil por ano para um primeiro oficial iniciante até US$ 225 mil por ano para um capitão sênior. Em conversão para a moeda brasileira, daria algo em torno de R$ 390 mil a R$ 1,1 milhão por ano, em uma cotação de 5 reais para cada dólar.

Quer ser piloto de avião nos EUA?

Se você tem vontade de trabalhar como piloto de avião nos Estados Unidos, preencha o nosso formulário de avaliação gratuita e receba uma análise inicial sobre as suas possibilidades imigratórias. Se o seu perfil for compatível com os requisitos americanos, agendaremos uma primeira consulta (também sem custos) para indicar os vistos mais adequados para você e explicar como é possível obtê-los.

Na AG Immigration, lidamos com vistos de trabalho (imigratórios e não-imigratórios), vistos para atletas e artistas, green cards com base em parentesco, ajustes de status, expatriação e transferência internacional de executivos, vistos de investimentos, obtenção da cidadania americana e casos humanitários (deportações, asilos e refúgios).

Baixe o ebook e conheça melhor a AG Immigration

Na AG, auxiliamos nossos clientes a descobrirem as muitas oportunidades de green card que existem nos EUA, especialmente para profissionais que possuem uma carreira bem-sucedida e que desejam morar e trabalhar legalmente na América, e para isso oferecemos uma consulta gratuita de suas possibilidades imigratórias.

Quer saber mais? Faça o download do e-book institucional da AG e descubra que o sonho americano é possível e bem menos complicado do que você imagina.

USCIS divulga Plano Estratégico 2023-2026

USCIS divulga Plano Estratégico 2023-2026

Plano Estratégico do USCIS para 2023-2026 O Serviço de Cidadania e Imigração dos EUA (USCIS, na sigla em inglês) divulgou seu Plano Estratégico para o período entre 2023 e 2026, no qual estabelece três objetivos principais: Objetivo 1: Fortalecer o sistema imigratório...