PIB dos EUA cai 1,4% no primeiro trimestre de 2022

PIB dos EUA no 1º trimestre de 2022

O PIB dos EUA registrou queda de 1,4% no primeiro trimestre de 2022 na comparação com o trimestre anterior. O número contrasta com o forte crescimento de 6,9% apresentado nos últimos três meses de 2021. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (28/4) pelo Escritório de Análises Econômicas do país (BEA, na sigla em inglês).

De acordo com o órgão, a queda no PIB foi um reflexo de reduções nos investimentos privados em estoque, nas exportações e em gastos governamentais. Além disso, as importações – que são uma subtração no cálculo do PIB – também aumentaram.

Por outro lado, os gastos dos consumidores – que respondem por quase dois terços do PIB americano – cresceram no período. O dado chama atenção, uma vez que os EUA passam por um cenário de alta inflacionária. Em março, aliás, a inflação oficial do país foi de 8,5% no acumulado dos últimos 12 meses, a maior desde 1981.

Saiba Mais: DENTISTAS BRASILEIROS BUSCAM CARREIRA NOS EUA

Esta é a primeira queda do PIB americano após seis altas consecutivas. De acordo com o BEA, a última retração havia acontecido no segundo trimestre de 2020.

Resposta da Casa Branca

De acordo com a Casa Branca, a queda dos investimentos privados em estoque é circunstancial. No trimestre anterior, em razão de preocupações com as cadeias de fornecimento, empresas fizeram aquisições em grande quantidade, preparando-se para eventuais disrupções.

“A economia americana – alimentada por famílias trabalhadoras – continua a ser resiliente face a desafios históricos”, declarou o presidente Joe Biden em nota. “Precisamos continuar progredindo – cortando custos para as famílias, produzindo mais na América e criando empregos bem pagos que permitam criar uma família de classe média”, adicionou.

Impacto da pandemia no PIB dos EUA

O aumento nos casos de Covid-19 relacionados à variante Ômicron resultou em “restrições e interrupções contínuas nas operações de estabelecimentos em algumas partes do país”.

Além disso, os pagamentos de benefícios sociais para pessoas físicas, de empréstimos perdoáveis para empresas e de subsídios para governos locais também caíram significativamente.

Contudo, de acordo com o relatório oficial do BEA, “os efeitos econômicos totais da pandemia de Covid-19 não podem ser quantificados na estimativa do PIB para o 1º trimestre”. Isso porque os impactos são geralmente incorporados em dados de origem e não podem ser identificados separadamente.

Saiba Mais: IMIGRANTES NOS EUA QUE FALAM INGLÊS GANHAM SALÁRIOS ATÉ 135% MAIORES

Setores da economia

A diminuição do investimento privado em estoque foi um reflexo do desempenho das vendas no comércio (principalmente veículos automotivos) e no varejo (notadamente, “outros varejistas” e concessionárias de veículos).

Quanto às exportações, houve reduções generalizadas em bens não duráveis, parcialmente compensadas por um aumento em “outros serviços empresariais”, que, na classificação americana, englobam basicamente serviços financeiros.

Saiba Mais: QUAL O SALÁRIO MÍNIMO NOS EUA?

As empresas dos EUA que mais contratam brasileiros – 2024

As empresas dos EUA que mais contratam brasileiros – 2024

Empresas dos EUA que mais contratam brasileiros - Edição 2024 A quantidade de empresas dos EUA que contrataram trabalhadores brasileiros subiu de 865, em 2022, para 1.271 no ano passado – alta de 46,9%. Entre as companhias que mais buscaram a mão de obra nacional...

Explode o número de brasileiros que pedem asilo nos EUA em 2023

Explode o número de brasileiros que pedem asilo nos EUA em 2023

Asilo de brasileiros para os EUA em 2023 A quantidade de pedidos brasileiros de asilo analisada pelos EUA em 2023 chegou a 7.715 – um salto de 162% em relação ao ano anterior e maior volume do qual se tem registro. Com isso, o Brasil passou a ser o 8º país com mais...