Os Estados Unidos devem registrar uma elevação significativa na quantidade de pedidos de refúgio e asilo por parte de imigrantes da Ucrânia em decorrência da invasão do país pela Rússia.

Dados do governo americano já dão conta de um crescimento no influxo de ucranianos nos EUA, tendência que deve ser impulsionada com os recentes acontecimentos na região do Mar Negro. Ainda que, em um primeiro momento, países do Leste Europeu e da Europa Central acabem sendo o primeiro destino para quem está fugindo da Ucrânia, é comum que muitas dessas pessoas, uma vez estabilizadas nessas localidades, posteriormente procurem um novo país para morar, aí sim, em definitivo. E muitas delas acabam optando pelos Estados Unidos.

Entre outubro de 2020 e setembro do ano passado (período que compreende o ano fiscal americano de 2021), 11.411 refugiados foram admitidos nos Estados Unidos. Os cinco principais países de origem dos refugiados foram: República Democrática do Congo (42,9%), Síria (10,9%), Afeganistão (7,6%), Ucrânia (7,0%) e Birmânia (6,8%). Os números são do Departamento de Estado e reforçam o aumento na curva imigratória de ucranianos para a América.

Diversos desses refugiados optam por adentrar de maneira escondida. Dados do Serviço de Alfândega e Proteção das Fronteiras revelam um crescimento de 56,5% nas detenções e expulsões de ucranianos que tentam entrar ilegalmente nos Estados Unidos. Em janeiro de 2022, foram 1.143 cidadãos do país do leste europeu barrados em solo americano, contra 730 no mesmo mês do ano anterior.

De acordo com o Departamento de Segurança Interna, em 2020 foram emitidos 9.886 mil green cards – documento que concede a residência permanente a estrangeiros – para cidadãos da Ucrânia. Embora o número seja 15,9% menor do que as 11.762 autorizações de 2019, a queda deve-se aos efeitos da pandemia sobre as atividades dos órgãos imigratórios, já que praticamente todos os países registraram recuo.

Segundo estimativas do Instituto de Política Migratória, entidade americana do terceiro setor, a comunidade de ucranianos nos Estados Unidos em 2019 era estimada em 354 mil pessoas, número que cresceu gradativamente ao longo das últimas duas décadas. Em 2020, eram cerca de 275 mil.

+ Saiba Mais: EUA quer eliminar regra que limita green cards para estrangeiros

Desafio imigratório para os EUA

Em outubro do ano passado, o presidente Joe Biden dobrou para 125 mil o limite de refugiados que os EUA podem aceitar no ano fiscal de 2022. O número, porém, é apenas intencional. Em 2021, por exemplo, o governo admitiu apenas 18% dos 62,5 mil refugiados projetados inicialmente – a menor quantidade de aprovações da história, menor inclusive do que as admissões da administração Trump, em que o limite era de 15 mil refúgios por ano.

Diferença entre refúgio e asilo

De acordo com a Lei Nacional de Imigração dos Estados Unidos, um refugiado é um estrangeiro que sofre perseguições ou tem medo fundamentado de sofrer perseguições por causa de sua raça, religião, nacionalidade, opinião política ou por pertencer a um determinado grupo social.

Estrangeiros que se enquadrem nesta definição legal podem ser elegíveis tanto para um pedido de refúgio (quando ainda não estão nos Estados Unidos) quanto para um pedido de asilo (quando a pessoa já está no país ou solicita admissão em algum posto de entrada, como portos e aeroportos).

Tanto o status de refugiado como o de asilo são formas de proteção humanitária oferecidas pelos Estados Unidos e várias outras nações.

Sabia que a AG Immigration atua em casos de pedidos de refúgio e de asilos? Caso queira saber mais informações, preencha nosso formulário de solicitação de consulta gratuita para que nossa equipe avalie o seu perfil imigratório.