O Serviço de Cidadania e Imigração dos Estados Unidos (USCIS, na sigla em inglês) anunciou nesta segunda-feira (7/2) uma atualização de suas regras, na qual fica estabelecido, a partir de agora, que o órgão emitirá e renovará o chamado Documento de Autorização de Trabalho (EAD) por um período máximo de dois anos para refugiados, asilados, vítimas de abuso e violência doméstica e imigrantes com ordem de deportação suspensa ou que estejam aguardando alguma decisão das autoridades. Até então, a validade do EAD para esses indivíduos era de um ano ou menos.

O EAD é uma autorização de trabalho destinada a imigrantes que ainda não obtiveram a residência permanente. Em geral, é concedida para quem está aguardando a conclusão do processo de deportação ou de solicitação de asilo, requerentes de green cards e de ajustes de status ou, também, para estrangeiros que estejam nos Estados Unidos sob um visto que não permite o trabalho, mas que por alguma razão solicitam a permissão para que possam atuar profissionalmente de maneira remunerada no país.

Segundo o comunicado do USCIS, a decisão serve para desafogar a agência e dar um alívio aos imigrantes, além de atender a demandas antigas para que a validade dos EADs fosse aumentada.

A regra vale apenas para novos pedidos de EAD e não se aplica à requerimentos de segunda via, ou seja, só imigrante já tem um EAD, perdeu o documento e agora solicita uma nova via, esta será emitida com a mesma data de validade da autorização original.

Veja Mais: EUA fecha 2021 com 10,9 milhões de vagas de emprego abertas

Quer viver nos Estados Unidos? Preencha nosso formulário e solicite uma avaliação gratuita sobre suas possibilidades imigratórias.