Não deixe seu melhor amigo pra trás. Saiba como levar “pets” para os EUA.

Muitas pessoas que decidem morar nos EUA possuem animais de estimação, e no momento da mudança descobrem o quanto é caro e burocrático levar seus “pets” para a terra do Tio Sam. Mas todo esforço vale a pena quando se trata dos nossos “melhores amigos”. Conheça os procedimentos necessários.

1 – VACINAÇÃO

Em primeiro lugar é fundamental garantir que todas as vacinas do seu pet estejam em dia, principalmente a vacina antirrábica. Será preciso apresentar a carteira de vacinação e um documento emitido por um veterinário atestando que o animal está saudável e sem qualquer tipo de complicação para embarcar no voo para os Estados Unidos.

É importante ter em mente que estas vacinas devem ser providenciadas com no mínimo 30 dias de antecedência da viagem para os EUA. Caso contrário, haverá a chance de seu animal de estimação permanecer em “quarentena” ao chegar no país.

2 – CERTIFICADO VETERINÁRIO INTERNACIONAL

Após garantir as vacinas e obter o atestado de saúde de seu animalzinho, será necessário obter um CVI (Certificado Veterinário Internacional) junto ao Ministério da Agricultura. No caso de cachorros, este documento tem uma validade de apenas 5 dias antes da viagem aos EUA. Já para gatos a validade do documento é de 10 dias antecedentes ao voo.

Através do website do Ministério da Agricultura você poderá se informar sobre as exigências para embarque de animais de estimação em voos saindo do Brasil, imprimir um modelo de atestado que poderá ser usado pelo veterinário escolhido, fazer o cadastro de seu pet e fornecer eletronicamente todos os documentos necessários para emissão da autorização do Certificado Veterinário Internacional.

3 – COMPANHIAS AÉREAS

Você também deve estar atento as exigências da companhia aérea que irá escolher para seu voo. Em geral, somente cães e gatos possuem direito a serem transportados na própria cabine de passageiros. Outros animais de estimação, como pássaros e coelhos, podem estar sujeitos a restrições de embarque mais severas. Muitas companhias aéreas também limitam o número de pets por pessoa.

No caso dos cães, dependendo do tamanho do seu cachorro, você poderá transportá-lo dentro da própria cabine ou, se seu pet ultrapassar o peso permitido, em uma caixa de transporte que atenda as medidas autorizadas pela cia aérea.

Uma prática muito utilizada para transportar animais na cabine, mesmo que eles excedam o peso e tamanho permitido, é obter um “Atestado de Apoio Emocional”. Trata-se de uma carta emitida por um psiquiatra ou psicólogo atestando que você ou algum outro membro de sua família que esteja no voo encontra-se em tratamento, e que a presença do animal de estimação na cabine é fundamental e serve de suporte emocional para a viagem.

Verifique atentamente e com a maior antecedência possível os websites das companhias aéreas para não ser pego de surpresa em relação aos documentos, e procedimentos necessários para embarcar seu pet. As exigências podem variar muito de uma empresa para outra.

4 – EXIGÊNCIAS ADICIONAIS DOS EUA

– Cachorros só podem ser transportados para os EUA caso tenham ao menos 4 meses de vida. Não existe uma regra semelhante para outros animais de estimação, incluindo gatos, por exemplo.

– Algumas raças de cachorros estão atualmente proibidas de serem embarcadas para os EUA, em especial aquelas cujos animais possuem o focinho achatado (braquicéfalos). Especialmente no verão americano existe uma preocupação das companhias aéreas americanas de que cães de determinadas raças possam passar mal ou, até mesmo, falecerem durante o voo.

– No caso de cachorros, é sempre recomendável fazer o implante de um chip de identificação antes da viagem. Nos Estados Unidos, é muito comum que os cães possuam chips desse tipo. Embora não seja barato, implantar um chip é uma ferramenta a mais para garantir que seu cachorro seja encontrado caso fuja ou se perca.

– Outra prática comum, e obrigatória em alguns estados americanos, é que os animas de estimação que cheguem ao país estejam castrados. A prática da castração, há algumas décadas, fez com que a sociedade americana diminuísse drasticamente a quantidade de cachorros de rua.

SÃO MUITOS PASSOS, MAS SEU PET MERECE

Sim, vai dar trabalho e custar algum dinheiro, mas a presença de nossos animais de estimação faz com que a viagem e a adaptação ao novo país sejam menos difícil. Afinal, os pets são parte de nossa família, e a vida com eles é muito melhor.

 

Se você deseja morar e trabalhar legalmente nos Estados Unidos, conte com a AG Immigration.

Nosso departamento jurídico realiza uma avaliação gratuita de seu perfil e de suas possibilidades imigratórias.

Envie um email para info@agimmigration.law
Também estamos no WhatsApp +1 (407) 728-6033.

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Por dentro do Texas

Por dentro do Texas

Conheça um dos estados mais fascinantes dos EUA  ETIMOLOGIA E CURIOSIDADES O nome Texas deriva de “Tejas”, uma palavra indígena que significa "amigos”, e o apelido do estado é Lone Star State, por causa da estrela solitária que existe em sua bandeira. Entre as...

PANDEMIA AMPLIA DISTÂNCIA ECONÔMICA ENTRE BRASIL E EUA

PANDEMIA AMPLIA DISTÂNCIA ECONÔMICA ENTRE BRASIL E EUA

Crescimento inédito da economia americana contrasta com recessão e desemprego recorde no Brasil. O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos teve um crescimento inédito de 33,1% no terceiro trimestre de 2020, na comparação com o trimestre anterior. O número é do...

Conheça a Califórnia, o estado mais “dourado” dos EUA

Conheça a Califórnia, o estado mais “dourado” dos EUA

POPULAÇÃO A Califórnia está localizada na região dos estados do Pacífico. É o estado mais populoso dos Estados Unidos, com 37 253 956 habitantes, e é o terceiro em extensão territorial, superado apenas pelo Alasca e pelo Texas. Das 20 maiores cidades dos Estados...