Como trabalhar de engenheiro nos EUA?

Trabalhar de engenheiros nos EUA

Trabalhar como engenheiro nos EUA é uma oportunidade incrível para profissionais que se graduaram na área e desejam expandir suas carreiras. Pesquisa realizada pela AG Immigration com dados do Departamento de Trabalho americano mostra que a Engenharia é a formação mais comum entre os brasileiros que recebem o green card.

POSSO TRABALHAR NOS EUA COM VISTO DE TURISTA?

ENTREI NOS EUA COMO TURISTA E RESOLVI FICAR. O QUE FAZER?

Por isso, vamos explicar neste guia tudo o que você precisa saber para trabalhar como engenheiro nos EUA.

Em geral, você precisará lidar com duas instituições diferentes:

  • National Council of Examiners for Engineering and Surveying (NCEES) – Conselho Nacional de Examinadores para Engenharia e Agrimensura dos EUA.
  • Conselho Estadual de Engenharia (o nome varia em cada estado, mas em geral é algo como Board Of Registration For Professional Engineers).

O NCEES fará a avaliação do seu currículo acadêmico, para garantir que seu diploma é equivalente ao americano. É também o órgão responsável por aplicar as provas de avaliação de competências técnicas como engenheiro.

Já os conselhos estaduais são quem de fato emitem a licença profissional, com base na pontuação obtida nas provas do NCEES e outros requisitos, que variam de estado para estado. Não existe nos EUA uma única entidade que permita a atuação como engenheiro em todo o território americano.

Neste site, você encontra informações de contato de todos os conselhos estaduais de engenharia dos EUA. Verifique as regras específicas do estado onde você pretende morar e atuar como engenheiro, mas em geral são as que iremos apresentar ao longo deste guia.

Primeiro passo: equivalência do diploma junto ao NCEES

O serviço de avaliação de currículo acadêmico (Credential Evaluation) do NCEES é destinado a candidatos que obtiveram seus diplomas de engenharia fora dos Estados Unidos e estão buscando licenciamento em um dos conselhos estaduais.

Quem precisa da equivalência de diploma de engenheiro nos EUA?

O processo de equivalência de diploma ajuda a garantir que um candidato seja qualificado para trabalhar de engenheiro nos EUA e que ele terá o conhecimento necessário para passar nas provas exigidas para obtenção da licença profissional.

Engenheiros que se graduaram em universidades ou instituições de ensino superior acreditadas pelo Conselho de Acreditação em Engenharia e Tecnologia dos EUA (ABET, na sigla em inglês) no momento da graduação. No site do ABET é possível verificar quais programas acadêmicos são ou já foram acreditados pela entidade.

Atualmente, no Brasil, apenas cursos de engenharia do Insper e da Pontifícia Universidade Católica do Paraná são acreditados pelo ABET.

COMO FUNCIONA O SALÁRIO MÍNIMO NOS EUA?

IMIGRANTES PODEM SER CONVOCADOS PELAS FORÇAS ARMADAS DOS EUA?

6 DICAS PARA VOCÊ ENCONTRAR UMA VAGA DE EMPREGO NOS EUA

Documentos necessários para a equivalência de diploma de engenheiro nos EUA

Já que a maioria dos cursos de engenharia internacional não são acreditados pelo ABET, é preciso fazer o processo de equivalência de diploma junto ao NCEES. O primeiro passo é criar uma conta no site do NCEES para preencher o formulário de solicitação e enviar os documentos necessários.

Todos os candidatos devem fornecer a seguinte documentação referente à sua graduação em Engenharia:

  • Histórico acadêmico (deve ser enviado diretamente da universidade para o NCEES)
  • Diploma ou certificado de graduação
  • Descrições das matérias cursadas

Se a sua graduação envolveu duas ou mais universidades (como no caso de transferências), é preciso pedir a documentação necessária para cada uma delas.

De acordo com o NCEES, as descrições das matérias cursadas são usadas para determinar o conteúdo das aulas, o número de horas de crédito por semana e se as aulas se reúnem em uma base semestral ou anual. O NCEES disponibiliza em seu site um template de referência sobre como redigir as descrições das matérias cursadas.

Todas as disciplinas que compuseram a grade curricular da sua graduação, sejam elas matérias de engenharia, matemática, ciência ou outras áreas (ética, filosofia etc.) devem ser descritas.

Você pode enviar as descrições das matérias, ementas ou outras evidências do conteúdo das aulas para o NCEES, desde que esses materiais estejam publicados pela universidade. Se os documentos não tiverem verificação de publicação pela universidade, eles devem ser oficialmente atestados como verdadeiros pela instituição ou ser enviados diretamente para o NCEES por ela.

Quanto custa a equivalência de diploma de engenheiro?

Depois que todos os seus documentos forem recebidos e verificados, o profissional estrangeiro de engenharia terá a opção de comprar uma Avaliação de Credenciais pelo site do NCEES. A taxa para o processo de avaliação é de US$ 350. Outros US$ 100 poderão ser cobrados se houver necessidade de uma reavaliação.

Quanto tempo a equivalência demora para ser concluída?

Uma avaliação de credenciais geralmente é concluída dentro de 15 dias úteis a partir da data de compra. Quando a avaliação estiver concluída, você receberá um relatório indicando como sua educação estrangeira se compara a um programa de engenharia credenciado nos EUA. Se deficiências forem identificadas, o relatório especificará requisitos adicionais de cursos que você poderá fazer. Uma vez concluídos estes cursos, você poderá solicitar uma reavaliação para então receber o atestado de equivalência.

Os documentos precisam ser enviados ao NCEES em inglês?

Sim. Se os documentos oficiais não puderem ser fornecidos em inglês, eles devem ser traduzidos por uma empresa certificada pelo NCEES. Nestes casos, a universidade deve enviar as descrições dos cursos no idioma nativo para que você possa enviá-los a um tradutor certificado.

Requisitos da equivalência de diploma de engenheiro nos EUA

Durante a avaliação das credenciais acadêmicas de um engenheiro estrangeiro, o NCEES irá identificar se o profissional atendeu aos seguintes critérios mínimos:

  • 32 horas de crédito por semestre em matemática superior e ciências básicas
  • 12 horas de crédito por semestre de educação geral que complementem o conteúdo técnico do currículo
  • 48 horas de crédito semestrais de matérias de engenharia e/ou engenharia de design

Créditos obtidos em cursos tecnólogos de engenharia não são considerados para atender aos requisitos de tópicos de engenharia.

Apenas o NCEES realiza a equivalência do diploma?

Não. Existem outras organizações que oferecem o serviço de equivalência acadêmica. Na Flórida, por exemplo, o conselho profissional também aceita o certificado emitido pela Josef Silny & Associates Inc. No entanto, o NCEES é aceito por todos os estados. Na dúvida, converse com o conselho regional do estado onde você pretende trabalhar como engenheiro nos EUA.

Segundo passo: aprovação nos exames FE e PE

Após receber o certificado de equivalência acadêmica (credential evaluation), o engenheiro deverá ter suas competências técnicas e conhecimentos técnicos avaliados. Isso é feito por dois exames, exigidos pela maioria dos conselhos estaduais:

  • Fundamentals of Engineering (FE): é o primeiro exame a ser realizado para quem quer se tornar um Engenheiro Profissional (PE) licenciado. Costuma ser feito por estudantes que estão prestes a se formar ou recém-formados.
  • Principles and Practice of Engineering (PE): é um exame mais complexo e aprofundado que requer um nível mínimo de competências em uma disciplina específica. É destinado a engenheiros com no mínimo 4 anos de experiência profissional na sua área após formados.

Alguns conselhos estaduais exigem que os candidatos façam primeiro uma inscrição inicial junto a eles e paguem uma ou mais taxas como parte de seu processo de aprovação, para somente depois prestarem os exames do NCEES.

O exame de PE é significativamente mais difícil do que o exame FE. Embora o FE não seja muito difícil, o PE requer preparação e prática substanciais. Em ambos os casos, recomenda-se uma taxa de acerto de no mínimo 70%, embora o percentual varie de prova para prova e da concorrência em cada teste.

Ambos os exames também são mandatórios para engenheiros formados nos EUA.

O exame FE: como é e valor da inscrição

O exame FE (Fundamentos da Engenharia) inclui 110 perguntas. O tempo máximo para responder todas as questões do exame do exame é de 6 horas e inclui:

  • Leitura do acordo de confidencialidade (2 minutos)
  • Tutorial (8 minutos)
  • Exame (5 horas e 20 minutos)
  • Intervalo programado (25 minutos)

O exame FE custa US$ 225, sendo pagos diretamente ao NCEES pelo site da entidade. A prova é realizada presencialmente durante todo o ano nos centros de teste aprovados pelo NCEES e são aplicadas em um computador.

Acomodações razoáveis estão disponíveis para os examinadores que atendem a certos critérios de elegibilidade e documentam suficientemente sua solicitação.

A prova do FE pode ser feita em uma das seguintes áreas da Engenharia:

  • Engenharia Química
  • Engenharia Civil
  • Engenharia Elétrica e de Computador
  • Engenharia do Meio Ambiente
  • Engenharia Industrial e Sistemas
  • Engenharia Mecânica
  • Outras Disciplinas

O exame PE: como é e valor da inscrição

O exame PE (Princípios e Prática de Engenharia) testa um nível mínimo de competência em uma determinada disciplina de engenharia. Ele é projetado para engenheiros que ganharam um mínimo de quatro anos de experiência de trabalho pós-faculdade em sua disciplina de engenharia escolhida.

O exame PE é oferecido em 27 disciplinas, sendo que cada disciplina tem uma prova diferente. Em geral, porém, as provas têm 80 ou 85 questões e 9 ou 9,5 horas de duração, incluindo:

  • Leitura do acordo de confidencialidade (2 minutos)
  • Tutorial (8 minutos)
  • Exame (8 ou 8,5 horas)
  • Intervalo programado (50 minutos)

As provas do PE são realizadas presencialmente, em um dos centros credenciados pelo NCEES e respondidas em um computador. O exame PE custa entre US$ 350 e US$ 400.

O exame PE é aplicado em 27 disciplinas diferentes da Engenharia, divididas nas seguintes áreas:

  1. Engenharia Agrícola e Biológica
  2. Engenharia Arquitetônica
  3. Engenharia Química
  4. Engenharia Civil:
    • Civil: construção
    • Civil: geotécnico
    • Civil: estrutural
    • Civil: transporte
    • Civil: recursos hídricos e ambientais
  5. Engenharia de Sistemas de Controle
  6. Engenharia Elétrica e de Computação
    • Engenharia da computação
    • Eletrônica, controles e comunicações
    • Energia
  7. Engenharia Ambiental
  8. Engenharia de Proteção contra Incêndios
  9. Engenharia Industrial e de Sistemas
  10. Engenharia Mecânica
    • HVAC e refrigeração
    • Design de máquinas e materiais
    • Sistemas térmicos e de fluidos
  11. Engenharia Metalúrgica e de Materiais
  12. Engenharia de Mineração e Processamento Mineral
  13. Engenharia e Arquitetura Naval
  14. Engenharia Nuclear
  15. Engenharia de Petróleo
  16. Engenharia Estrutural
    • Amplitude – Forças verticais
    • Profundidade – Forças verticais
    • Amplitude – Forças laterais
    • Profundidade – Forças laterais

Diferentemente do exame de Fundamentos da Engenharia (FE), o candidato pode usar fontes de referência externas na prova PE. A regra geral é que tais materiais devem estar em algum tipo de encadernação permanente (livro, espiral etc.). Papéis soltos e notas são proibidos.

Como a prova é realizada em um computador, candidatos não podem levar canetas, lápis ou papel de rascunho. Além disso, apenas calculadoras especificamente aprovadas pelo NCEES são permitidas.

Algumas das provas acontecem apenas uma vez por ano, enquanto outras disciplinas têm opções de datas distribuídas em vários meses.

Passo 3: Comprovação de experiência

A maioria dos estados americanos exige que, após formado, o engenheiro acumule quatro anos de experiência de trabalho prático na área onde ele vai atuar. Na Califórnia, são seis anos de experiência exigidos. Em geral, esse trabalho precisa ser supervisionado por um engenheiro profissional (PE) já licenciado nos EUA.

É por isso que, inicialmente, ao passar no exame FE, os engenheiros recém-formados recebem uma licença limitada, chamada de Engineer-in-Training (EIT). Após esses quatro anos, o candidato realiza o exame PE para receber, finalmente, o título de Engenheiro Profissional (PE), necessário para, entre outras coisas:

  • Usar o título de PE em assinaturas
  • Participar de leilões e contratos governamentais
  • Ser dono ou sócio de uma empresa de engenharia
  • Prestar consultoria
  • Dar pareceres técnicos
  • Divulgar serviços de engenharia

Em muitos casos, o tempo da graduação e, sobretudo, da pós-graduação pode ser contado, total em partes, para que se atinja o tempo mínimo de experiência.

A experiência obtida fora dos EUA pode ser reivindicada, mas os engenheiros estrangeiros devem prestar atenção nos regulamentos de alguns estados, como no Texas, que exigem que pelo menos dois anos da experiência mandatória sejam obtidos nos EUA ou que tenha envolvido trabalho com os códigos e padrões americanos. Em muitos casos, o resultado da equivalência de diploma determinará a quantidade de experiência que será necessária.

Passo 4: requisitos adicionais para validar seu diploma de engenheiro nos EUA

Além da equivalência acadêmica e dos exames PE e FE, alguns estados têm requisitos específicos para concluir o processo de licenciamento de um engenheiro estrangeiro, portanto, sempre verifique com o conselho profissional do estado onde você pretende atuar. Alguns exemplos de requisitos adicionais:

  • Requisito de registro de experiência: Alguns estados podem exigir uma quantidade específica de experiência de trabalho de engenharia antes que você possa fazer o exame de PE. Em geral, são 4 anos de experiência supervisionada por um Engenheiro Profissional (PE).
  • Requisito de residência: Certos estados podem ter requisitos de residência, o que significa que você deve ser um residente desse estado para fazer os exames.
  • Requisito de documentação: Documentos como um Social Security Number ou ITIN podem ser exigidos em alguns estados para que você realize as provas do CNEES. Na Califórnia, por exemplo, embora você não precise ser um residente do estado, o conselho estadual de engenharia não aceitará seu pedido de licença profissional sem que você tenha um SSN ou ITIN. Cartas de referência também podem ser exigidas pelos conselhos estaduais.
  • Exame de ética: Alguns estados podem exigir exame de ética adicional que os candidatos devem passar ou cursos de atualização a cada dois anos.

Além disso, em alguns estados, além da aprovação nos exames FE e PE, você precisará ainda passar em um exame teórica de conhecimento das leis locais. É um processo mais comum para certos tipos de engenharia, como a Civil, em que você precisa conhecer o código de obras do estado e outras regulamentações.

Quanto ganha um engenheiro nos EUA?

A AG Immigration fez um levantamento na base de dados do Departamento de Trabalho dos EUA e na plataforma salarios.com.br, que utiliza informações do CAGED e do eSocial. Ao analisar diversos campos da engenharia, foi possível identificar, na média, que o salário de um engenheiro nos EUA é de R$ 44 mil, enquanto no Brasil é de R$ 8,7 mil.

Os maiores salários nos EUA são de engenheiros de voo (R$ 94 mil por mês), engenheiros navais (R$ 68 mil) e engenheiros de petróleo (R$ 59,5 mil). No Brasil, os maiores salários da engenharia são dos engenheiros aeronáuticos (R$ 15,8 mil), engenheiros de mineração (R$ 12,5 mil) e engenheiros navais (11,7 mil).

Veja abaixo a tabela completa de quanta ganha um engenheiro nos EUA em comparação com o salário de um engenheiro no Brasil.

Salário de engenheiro nos EUA

Salário de engenheiro nos EUA

Salário de engenheiro nos EUA

OCUPAÇÃO NOS EUA SALÁRIO MÉDIO MENSAL (EM R$) OCUPAÇÃO NO BRASIL
Airline Pilots. Copilots. and Flight Engineers R$ 94.058 Engenheiro Aeronáutico
Architectural and Engineering Managers R$ 68.046 Engenheiro Arquiteto
Petroleum Engineers R$ 59.500 Engenheiro Químico (Petróleo e Petroquímica)
Computer Hardware Engineers R$ 58.679 Engenheiro de Hardware Computacional
Aerospace Engineers R$ 52.954 Engenheiro Aeronáutico
Sales Engineers R$ 52.275 Engenheiro de Vendas
Nuclear Engineers R$ 51.892 Engenheiro Mecânico (Energia Nuclear)
Electronics Engineers. Except Computer R$ 49.358 Engenheiro Eletrônico
Chemical Engineers R$ 49.092 Engenheiro Químico (Indústria Química)
Engineering Teachers. Postsecondary R$ 47.696 Professor de Engenharia
Electrical Engineers R$ 47.521 Engenheiro Eletricista
Bioengineers and Biomedical Engineers R$ 45.025 Bioengenheiro
Marine Engineers and Naval Architects R$ 43.983 Engenheiro Naval
Materials Engineers R$ 43.925 Engenheiro de Materiais
Health and Safety Engineers R$ 43.154 Engenheiro de segurança do trabalho
Environmental Engineers R$ 42.363 Engenheiro Ambiental
Mining and Geological Engineers R$ 42.204 Engenheiro de Minas
Ship Engineers R$ 42.075 Engenheiro Naval
Mechanical Engineers R$ 42.008 Engenheiro Mecânico
Industrial Engineers R$ 41.067 Engenheiro de Organização Industrial
Civil Engineers R$ 40.575 Engenheiro Civil
Agricultural Engineers R$ 37.796 Engenheiro Agrônomo
Aerospace Engineering Technologists and Technicians R$ 32.108 Técnico Aeronáutico
Sound Engineering Technicians R$ 31.496 Engenheiro de Som
Locomotive Engineers R$ 30.771
Electrical and Electronic Engineering Technologists and Technicians R$ 29.504 Tecnólogo em Eletrônico
Mechanical Engineering Technologists and Technicians R$ 26.888 Tecnólogo em Mecânica
Industrial Engineering Technologists and Technicians R$ 26.446 Tecnólogo em Automação Industrial
Civil Engineering Technologists and Technicians R$ 25.617 Tecnólogo em Construção Civil
Environmental Engineering Technologists and Technicians R$ 24.175 Tecnólogo Ambiental

More legalmente nos EUA

Este é o melhor momento na história para quem deseja morar e trabalhar nos EUA. Portanto, preencha o nosso formulário de avaliação gratuita e receba uma análise inicial sobre as suas possibilidades imigratórias. Assim, caso tenha o perfil para conseguir o green card americano ou outros vistos com os quais trabalhamos, agendaremos uma consulta sem custos para explicar como obtê-los.

A AG Immigration é um escritório de advocacia especializado em imigração para os EUA. Lidamos com vistos imigratórios, como EB-1, EB-2, EB-2 NIW, EB-3 e green cards baseados em parentesco. Além disso, também atuamos com vistos de trabalho temporário, asilo, deportação, remoção e outras áreas da imigração para quem quer trabalhar e morar nos EUA ou para empresas que desejam contratar mão de obra estrangeira no país (veja nossa página de Corporate).

As empresas dos EUA que mais contratam brasileiros – 2024

As empresas dos EUA que mais contratam brasileiros – 2024

Empresas dos EUA que mais contratam brasileiros - Edição 2024 A quantidade de empresas dos EUA que contrataram trabalhadores brasileiros subiu de 865, em 2022, para 1.271 no ano passado – alta de 46,9%. Entre as companhias que mais buscaram a mão de obra nacional...

Explode o número de brasileiros que pedem asilo nos EUA em 2023

Explode o número de brasileiros que pedem asilo nos EUA em 2023

Asilo de brasileiros para os EUA em 2023 A quantidade de pedidos brasileiros de asilo analisada pelos EUA em 2023 chegou a 7.715 – um salto de 162% em relação ao ano anterior e maior volume do qual se tem registro. Com isso, o Brasil passou a ser o 8º país com mais...